quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Desvairada por cultura

Chego lá, abro a programação da 32ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Corto os filmes cujos horários da sessão seriam incompatíveis com a minha programação, anotada no bloquinho do hotel (show no Ibirapuera, Bienal, MASP). Às 22:50, Queime depois de ler. Esgotado. Assisto, então, Be kind, rewind (Rebobine, por favor). É muito bom! Engraçadíssimo, com aquele ator daquele filme em que a Gwyneth Paltrow engorda, sobre feiúra e beleza interior... O amor é cego. Nossa, Be kind é metalinguístico e totalmente viajante, o roteiro. Pode assistir! - sexta

Como você sabe, o Win Wenders escolheu alguns filmes para serem exibidos na Mostra (carta branca a Win Wenders) e eu queria ver o A sereia do Mississipi, do Truffaut. Mas não deu porque era ao meio-dia e eu tinha que ir conhecer o MASP. - domingo

No sábado, um show maravilhoso de jazz: Sonny Rollins.

As fotos foram tiradas lá de trás porque fiquei na sombra. Mas lá na frente tava tranquilo. No final, fui pra lá, pertinho. O impressionante, além da performance do músico, foi o comportamento do pessoal sentado na grama, num calor de matar. Ninguém dava um pio. [Me lembrei da apresentação do Grupo Corpo na reitoria da UFMG, em que as pessoas ficavam em pé na nossa frente e galera começou a gritar: senta, senta! Depois, entraram a jogar coisas nas pessoas que estavam em pé, tipo: água ou qualquer objeto que estivesse à mão. O negócio tava até perigoso! (rsrsrs) Conclusão: a gente não via, nem ouvia nada. Só na segunda parte é que conseguimos assistir porque mudamos de lugar.]

Com uma fome danada, fomos ao mercado municipal. É muito bonito. Em um dos bares, havia umas fotos dele antigo, não sei de que data eram as fotos, mas sei que o prédio permanece conservado e a rua, inalterada, bem larga.

Ê, Paulicéia!




sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Pra Paulicéia!

Blog, não esqueci docê, não, tá?
É que essa semana, vc sabe, teve Semana de eventos na FALE.
Quando eu chegar de viagem, te trato direitinho, viu?

Até a volta.
Ju.

domingo, 19 de outubro de 2008

Domingo

O forró aos domingos voltou para o Espaço Brasil!

Forró de cabo a rabo
Todos os domingos das 18 à meia-noite.
Avenida Brasil, 1238, Funcionários

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Miss Lambright


Miss Lambright vive atulhada
entre cores.
Áfricas inteiras, recifes de coral
suas paredes latejantes.
As máscaras aprenderam sua cabeleira metálica
esponja de aço
inoxidável
contracanto das platinum blondes.
Seu universo está em contínua expansão.
Nas tardes de domingo
proverbial grafiteira
ela picha pneus velhos em tons azuis.
Cascalhos roubados do Blackstone River
pintados em vermelho cadillac
empilham sagrados muros
de um cemitério familiar
onde dorme o gato branco.
No cantinho de Miss Lambright
tudo se encontra.
Cipós enluarados descarregam volts
sobre a cafeteira automática.
Bric-a-brac de bolso
Miss Lambright poeta sem saber
sem precisar saber
metáfora de si mesma.

Marcus Vinicius de Freitas

FREITAS, Marcus Vinicius de. No verso dessa canoa: poemas, 1993-2005. Vitória: Flor&cultura, 2005.

Marcus é Doutor em Estudos Portugueses e Brasileiros pela Brown University - EUA, é meu professor por acaso e agora, por escolha, porque entro na aula dele sem fazer matrícula e, como disse a Emília, sou "a aluna não-matriculada mais presente", ou a intrusa oficial! Além de tudo, ele conhece o pessoal da UFES (Bith, Raimundo, Gazu, Salsa, Lino) e a Danuza Menezes. O que dizer, então? Tudo de bom!

terça-feira, 14 de outubro de 2008

No café da manhã




Tô boba de ver a linguagem que aparece na embalagem do Toddy. Não deu pra focar direito, mas tá escrito assim:
"E um rabudo que for sorteado leva pra casa (...) e mais uma porrada de prêmios!"

Também...só pelo nome da promoção, né?!

Não é pela linguagem, mas pelo meio em que ela foi publicada e é veiculada.

sábado, 11 de outubro de 2008

Vontade própria

Resolvi inserir os tags aqui depois de ler o artigo de Carlos Frederico B. d'Andréa: Ler, escrever, editar, comentar, votar... Os desafios do letramento digital na web 2.0 , publicado na Revista Língua Escrita.


Ele fala do Letramento digital e da Web 2.0. Este termo refere-se aos recursos oferecidos por um site que permitem a construção e edição de conteúdo pelo usuário, diretamente no ambiente de leitura. O conceito de Letramento digital se relaciona à capacidade do internauta de utilizar (e saber procurar como fazer para utilizar) os recursos de um site ou blog.


A certa altura do interessantíssimo artigo, o autor diz:

Para Battelle (2007, p.5), “a busca está construindo possivelmente o mais duradouro, forte e significativo artefato cultural da história da espécie humana”, pois na caixa de busca os usuários digitam “todos” seus desejos, necessidades e preferências.


Pois, é, no blog, pelo menos aqui no blogger, acho que o mecanismo de que o leitor dispõe são esses marcadores, por assunto, categorizados pelo autor do blog.


Uma observação: pelo que entendi, a Web 2.0 (o termo) não é usada só para sites feitos pelo usuário, como o You Tube e a Wikipedia, mas também, para sites em que há interação, por meio de comentários e sugestões, por exemplo.


O que ocorre nesse novo comportamento social que é a utilização da internet para a interação, consequentemente, para a prática da linguagem, é o exercício da escolha. Eu só comento (estou usando "eu" me referindo às pessoas) em blogs ou sites cujos assuntos lidos me despertaram interesse em escrever e emitir opinião sobre eles. Só clico em links escolhidos. Só baixo arquivos que quero visualizar ou ter em meu pc. Só entro em sites cujo layout me atrai.


Então, a subjetividade, o gosto pessoal, o direito de escolha aparecem no ato de navegação na internet.


Para que as escolhas sejam realizadas de modo consciente, saudável, produtivo, positivo, construtivo, ético... é necessário que princípios extremamente anteriores ao computador, e à máquina de escrever sejam ensinados e praticados, antes do momento em que o Letramento digital se inicia.


Eu acho (não "acho" no sentido de não ter certeza, mas no sentido de "eu penso isso") que o próprio Letramento digital é uma escolha.



sexta-feira, 10 de outubro de 2008

É da minha época!

Eu estava em um bar especializado em caldos lá em Santa Tereza e na televisão, um dvd passando clipes dos artistas mais variados. A seleção era legal, mas chegou um momento em que ficou sensacional! Erasure, com "Give a little respect" e A-HA, "You are the one"... MUITO BOM!!!!
Era isso que eu adorava na adolescência, era isso que eu dançava nas festas de aniversário, que eu escutava em casa, em K7!
Eu lembro que uma amiga era doida com o vocalista do A-HA e ontem eu reparei que ele tem um diastema (espaço entre os dentes) baita, igual ao meu!
A amiga era a Flávia Bezerra. Tô com saudade dela!
Vendo o Erasure, lembrei da minha turma de Vitória, a galera da Juliana Amaral. Minhas férias eram diversão garantida.
Chegou um ponto em que fomos pra faculdade, cada um dos meus amigos de colégio foi para um lugar diferente e fiz outros, também vindos dos mais diferentes estados, principalmente da Bahia, com os quais me afinei mais. Com a turma de Vitória, o que aconteceu foi uma divergência de interesses, com a vinda da fase adulta. Mas o carinho continua.



Você lembra, também, de Oh, L´Amour? (rsrsrs)

terça-feira, 7 de outubro de 2008

quinta-feira, 2 de outubro de 2008